Base de Rui supera divergências e define coligações proporcionais

Governador Rui Costa

O que era dado como um grande problema a ser resolvido pelo governador Rui Costa (PT), que concorre à reeleição, foi sanado pela base, após reuniões de discussões acaloradas ao longo dessa quarta-feira (1). Em entrevista a um site, o presidente estadual do PT, Everaldo Anunciação, assegurou que o impasse chegou ao fim e que ficou acordado que o grupo terá três chapas para federal e três para estadual. Resta agora apenas estruturar as composições.

Um novo encontro está marcado para a tarde desta quinta-feira (2). “Estamos construindo essa estratégia, mas o princípio é manter a unidade para construir maioria. Chegamos à conclusão que esse é o melhor formato para atingirmos esse objetivo e hoje vamos fazer somente essa arrumação para garantir esse princípio com equilíbrio, de modo a garantir o conforto dos que têm mandato e a perspectiva daqueles que estão se projetando”, disse.

O petista não perdeu a oportunidade para alfinetar os adversários: “Afinal, esse é um cenário bom, em que a oposição vai diminuir e, consequentemente, nós vamos crescer e temos que tomar as decisões de forma assertiva”.

O imbróglio se instaurou depois que o PT recusou integrar o chapão com o PSD do senador Otto Alencar. Diante do cenário, os pessedistas ameaçaram uma rebelião dentro do grupo de Rui Costa. O desfecho só ocorreu em reunião que entrou pela noite no Palácio de Ondina.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*