Em fase ‘paz e amor’, Gregore celebra sequência no Bahia

Sabe aquele jogador que entra em campo e você já conta um cartão amarelo para ele? Em 2018, o ‘troféu Felipe Melo’ do Bahia poderia ser concedido ao aguerrido Gregore. Ao menos essa é a visão que se criou devido ao seu comportamento desde o início da temporada. Porém, o que se tem visto nos últimos jogos é uma versão ‘paz e amor’ do volante.

Ainda líder do time em cartões amarelos recebidos no Campeonato Brasileiro (soma sete, dois a mais que Élber), Gregore não é advertido há seis partidas e vive sua maior série livre de punições no ano.

Por conta do momento de maior serenidade, ele consegue ter uma sequência admirável de partidas pelo clube. Dos 17 duelos que o time fez após a Copa do Mundo (o que dá uma média de um a cada três dias), o atleta só não participou de dois – em um deles, contra o América-MG, cumpriu sua última suspensão, e no outro, o desafio diante do Cerro (URU) pela Sul-Americana, acabou poupado.

“Isso é um ponto positivo. Consegui uma recuperação rápida entre os jogos. Mas nenhum atleta consegue fazer tantos jogos em período tão curto. Então, é preciso ter um descanso para alguns”, afirmou o volante.

No Brasileirão, Gregore até começou de maneira ‘light’, sem levar cartões nos quatro primeiros jogos. Entretanto, levou suas sete advertências nas 12 partidas seguintes. E um bom sinal é que ele não tem precisado fugir tanto ao seu estilo para apresentar a melhora disciplinar.

Na sequência atual de seis jogos sem cartões, apresenta média de desarmes completos bem semelhante à anterior – são 3, contra os 3,2 que conseguiu nos 16 primeiros confrontos (ele é o líder absoluto da equipe no fundamento, pela Série A).

Quanto ao número de faltas cometidas, outro em que se coloca à frente de todos os colegas de equipe, até mostrou um ligeiro aumento. Do total de 80 na competição, fez 24 nos últimos seis jogos (4 de média). Nos 16 anteriores, cometeu 56 (média de 3,5).

A comparação com os torneios disputados no primeiro semestre evidencia a melhora no comportamento do volante. Em 10 partidas pelo Baianão, levou seis amarelos e um vermelho. Em nove na Copa do Nordeste, foi advertido três vezes.

Para completar, teve um amarelo e uma expulsão em quatro duelos pela Copa do Brasil, e, nas duas partidas que fez pela Sul-Americana, não sofreu punições.

Treino técnico

Em sua primeira semana inteira livre após o Mundial, o treinador Enderson Moreira comandou nesta quarta-feira, 12, uma atividade técnica no Fazendão, sem dar pista do time que encara o Palmeiras, domingo, na Fonte.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*