Capitão nas últimas duas rodadas, Nilton quer apoio da torcida contra o Paraná

No Bahia desde o inicio da temporada, Nilton não havia ganhando espaço na equipe Tricolor. No entanto, nos últimos quatro jogos, o meia foi titular em três e foi o capitão do time de Enderson Moreira nas duas últimas partidas.

“Todo mundo acabou vendo o quanto eu estava trabalhando, me dedicando aqui dentro do clube e até fora. As coisas não são por acaso. Tem que trabalhar muito, cada momento de trabalho você tem que se dedicar, aquilo pode fazer diferença. O professor deixou claro que ia me utilizar em algumas oportunidades, em alguns momentos durante as partidas. Eu estava esperando a oportunidade. Chegou, e eu consegui exercer da maneira que ele estava pedindo, ajudando a equipe e apresentando aos poucos uma evolução”, comentou Nilton em entrevista coletiva nesta quarta-feira, 10.

A força e o apoio do torcedor nos jogos dentro de casa, sempre foram um alicerce do Bahia nas partidas na Fonte Nova. Especialmente, nesta rodada, o Esquadrão irá jogar em Pituaçu, e para não pressionar o adversário, as arquibancadas estão saindo por R$ 10.

“Eu posso dizer que já tive a oportunidade de jogar contra as equipes em Pituaçu, sempre é muito difícil. Posso dizer que é uma atmosfera diferente, a torcida do Bahia acaba colocando uma pressão. Acho que a presença do torcedor, que é sempre o nosso 12º jogador é essencial e fundamental. Eu digo que eles cantam por nós e nós corremos por eles”, afirmou.

O Bahia está em 14º na tabela do Brasileirão, apenas a 2 pontos do primeiro colocado da zona da degola, o Vasco. E precisa ganhar do Paraná, no jogo deste sábado, 13, em Pituaçu, às 21h, para se afastar ainda mais do risco do rebaixamento.

“No Campeonato Brasileiro a gente tem que estar sempre pontuando. Campeonato muito difícil. Tem que pontuar em casa, fora, seja um ou três. Mas pelo momento na tabela, é uma situação desconfortável, é uma colocação que nos deixa com uma luz acesa de se preocupar. Mas faltam rodadas, tem outras equipes em situação difícil. No jogo contra o Paraná, a gente tem que fazer o dever de casa”, finalizou.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*