Mesmo cego homem que matou a esposa grávida foi condenado a 16 anos de prisão

Após ir a júri popular, o deficiente visual Teodulo Ferreira dos Santos, de 33 anos, foi condenado nesta terça-feira, 13, a 16 anos e 3 meses de prisão pelo assassinato da esposa grávida de seis meses, Risoleta Araújo de Alencar, 30, na cidade de Feira de Santana (a 109 km de Salvador). Ela foi morta a golpes de faca em julho de 2017.

De acordo com informações do site Acorda Cidade, Teodulo, que foi preso em flagrante, confessou que, no dia do crime, esfaqueou Risoleta no pescoço durante uma discussão e que tentou fugir levando o filho da vítima, de outro relacionamento.

A pena aplicada pela juíza Márcia Simões Costa deverá ser cumprida no Conjunto Penal de Feira de Santana em regime fechado. Porém, a defesa não achou a sentença justa e garantiu que irá recorrer, solicitando recurso do tamanho da pena e dos qualificadores.

“Usei a tese de que ele agiu sob violenta emoção logo após provocação da vítima e que não existia nem a qualificadora da motivação e nem a qualificadora do recurso que impossibilitou a defesa da vítima”, afirmou o defensor público Maurício Saporito, em entrevista ao Acorda Cidade.

No entanto, a promotoria rebateu e considerou a pena justa. “As provas estão a indicar que o crime foi cometido da forma como tínhamos acusado, que é a impossibilidade de defesa da vítima e também o motivo que o levou a praticar o crime, que foi um motivo fútil. Ela estava grávida dele de seis meses e ainda assim ele tirou a vida dela. A defesa quer uma pena mais leve, para que o acusado cumprisse a pena em regime domiciliar e não preso em regime fechado”, disse ao site a promotora Semiana Cardoso.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*