Ministro da Saúde anuncia verba para as Osid

Em visita às Obras Sociais Irmã Dulce (Osid), o ministro da saúde Gilberto Occhi anunciou nesta sexta-feira, 20, que, no próximo mês, será autorizado recurso para aquisição de novos equipamentos e para a estrutura de atendimento em média e alta complexidade em oncologia.

“O objetivo do Ministério da Saúde é viabilizar cada vez mais, para que as Osid, que tanto ajudam, à população, principalmente a mais carente, se mantenham de portas abertas, que era a grande obra de Irmã Dulce”, destacou o ministro. Por ano, as Osid realizam 3,5 milhões de atendimentos ambulatoriais.

O ministro conheceu a Unidade de Alta Complexidade em Oncologia, inaugurada em maio de 2015, que oferece o tratamento completo. Ele, também, conheceu as enfermarias e unidades de terapia intensiva, além do Memorial Irmã Dulce, que fica no Santuário da Bem-aventurada Dulce dos Pobres, onde, também, está o túmulo da beata.

Em reunião, o ministro discutiu pleitos que já estão em andamento no Ministério da Saúde. Um dos pontos foi o aumento do repasse de recurso para média e alta complexidade em oncologia.

Segundo Occhi, são necessárias análises para verificar por qual via o recurso será disponibilizado. “Precisamos analisar o que o hospital produz e fatura para que possamos ajustar o recurso para o Fundo Estadual de Saúde ou por via municipal”, apontou.

Análises

“Recebemos das Osid, também, o pleito para aquisição de equipamentos. Já estamos finalizando nossas análises para autorizar valores para o próximo mês”, contou. Segundo as Osid, o pleito para o equipamento de ressonância magnética foi encaminhada no início deste ano, ainda na gestão do ex-ministro Ricardo Barros.

Somente o aparelho custa R$ 4,5 milhões. Para receber o equipamento, deverá ser construída uma nova ala no setor de oncologia orçada em R$ 3,8 milhões.

O ministro contou, também, que o Ministério da Saúde deverá apoiar as Osid para equilibrar as contas. Apesar de receber recursos dos governos federal, estadual e do executivo municipal, a instituição apresenta déficit no orçamento.

De acordo a Maria Rita Pontes, superintendente das Osid, o ministro foi empático aos pleitos apresentados. “Ele prometeu nos ajudar, principalmente, no pleito da ressonância magnética que já se encontra no Ministério e outros pontos que foram colocados, ele prometeu avaliar. Então vamos aguardar”, disse.

Cimatec

A convite de Roberto Badaró, professor-chefe do Instituto de Tecnologias em Saúde do Campus Integrado de Manufatura e Tecnologia (ITS/Cimatec) da rede Senai, o ministro conheceu o projeto “clean” que busca a melhoria na eficiência dos hospitais do Brasil. A iniciativa já é desenvolvido pelo MS em seis localidades e deverá ser ampliada para melhor atender urgência, emergência e os leitos existentes.

“Também recebemos a solicitação para a ampliação de um prédio para pesquisas e ações que serão direcionadas para indústrias e para a área de saúde. Estou impressionado com o desenvolvimento destas pesquisas que poderão ajudar o país como um todo e em áreas específicas”, destacou.

De acordo ao ministro, os recursos aplicados pelo MS na Bahia têm sido satisfatório e apresentado bons rendimentos.

Recentemente, o titular do órgão anunciou R$ 130 milhões de investimentos com construção de UPAs, unidades básica de saúde e entrega de veículos para vigilância epidemiológica. “É uma boa aplicação do investimento do governo federal”, disse.

*Sob supervisão da editora Meire Oliveira

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*