Negociação define se lojas abrem no fim de semana em Salvador

Uma nova rodada de negociações marcada para esta quinta-feira, 11, às 10 horas, entre o Sindicato dos Lojistas da Bahia (Sindilojas) e o Sindicato dos Comerciários vai definir para os moradores de Salvador se as lojas da capital baiana vão funcionar na sexta, 12, no feriado de Nossa Senhora Aparecida e Dia das Crianças.

Caso a situação não seja resolvida, as lojas de Salvador não poderão ser abertas na sexta e no domingo, 14, por decisão do juiz José Arnaldo de Oliveira, substituto da 18ª Vara do Trabalho de Salvador, que considerou que a última convenção da categoria expirou em 28/2/2018.

O penúltimo capítulo deste impasse, segundo o vice presidente do Sindicato dos Comerciários, Alfredo Santiago, foi causado pela inclusão de uma cláusula que não havia sido acordado, de banco de horas de 180 dias por parte do Sindilojas, que não é aceita pela categoria. “Nossa perspectiva é chegar a um acordo amanhã (quinta-feira) e assinar. Sabemos da importância da data, da questão da segurança jurídica, mas não podemos esquecer que os comerciários estão com o salário defasado desde março”, diz Santiago.

Entretanto, segundo o presidente do Sindilojas, Paulo Motta, a proposta do sindicato dos trabalhadores apresentou uma proposta com “pegadinhas”. Entre estas a exclusão das datas dos feriados quando o comércio não pode funcionar, e domingos previstas na determinação judicial, o que poderia acarretar problemas futuros por não estarem contidas no acordo.

Edson Piaggio, presidente da Associação Brasileira de Administração de Shoppings Centers, seção Bahia (Abrasce), diz que a estimativa é que ocorra um prejuízo para estes estabelecimentos de R$ 20 milhões somente nos dias 12 e 14/10. Considerando todos os domingos, a queda de faturamento será de 15%, com impactos como a redução na contratação de mão de obra temporária.

Além disso, a decisão judicial é que se o lojista a descumprir a decisão da Justiça do Trabalho, será condenado que pagar multa de R$ 1 mil por cada funcionário que trabalhar. E, pior, A multa é retroativa para todos os domingos e feriados em que os estabelecimentos funcionaram, desde março.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*