Prefeitura ‘estranha’ greve geral dos servidores e diz que grupo quer “politizar o diálogo”

Com a decretação de greve geral dos servidores públicos municipais, a partir de sexta-feira (3), a prefeitura de Salvador emitiu nota a imprensa ‘estranhando’ a decisão. No comunicado, a gestão municipal afirma que um pequeno grupo quer politizar o diálogo e ressaltou que continua aberta a negociações.

“Em negociações permanentes com os servidores, a Prefeitura recebeu com estranheza a decisão de uma pequena parte do funcionalismo de politizar o diálogo com a recomendação de interromper as atividades a partir da próxima segunda-feira. Desde o início das negociações, a Prefeitura sempre manteve aberto o diálogo com as categorias dos servidores e seus representantes e construiu uma proposta que beneficia todo o funcionalismo. Em um momento de crise na economia brasileira, a gestão municipal apresentou propostas de aumento real que chegam a 11%, 5,5% e 2,5%, a depender da categoria e da condição de cada servidor”, informa a nota.

De acordo com a Secretaria de Gestão (Semge) “diversas entidades representativas dos servidores municipais fecharam acordo com a Prefeitura e que as condições negociadas já foram objeto de implantação em folha no mês de julho”. Por fim, a Semge informou que continua aberta às negociações e acrescenta que a radicalização de uma pequena parte de sindicalistas impede a realização de novas rodadas de negociação.

Em assembleia nesta terça-feira (31), os servidores deliberaram pela greve geral.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*