Comemoração litúrgica é marcada por emoção no Santuário de Irmã Dulce

Católicos emocionados participaram da comemoração litúrgica em intenção a Bem-Aventurada, Irmã Dulce, nesta terça-feira, 13, no Santuário da Bem-Aventurada Dulce dos Pobres no Largo de Roma. Presidida por Dom Murilo Krieger, a celebração iniciou às 9h, com mais de 2 mil pessoas, que choravam e rezavam.

A missa teve a participação da cantora Margareth Menezes, o sanfoneiro Waldonys e o miraculado Maurício Moreira. Eles homenagearam Irmã Dulce com a canção ‘Doce Luz’.

Muito emocionada, Margareth disse que desde criança ia ver a Bem-Aventurada e pedir a sua bênção. “Sempre me lembro da figura de Irmã Dulce. Estou muito emocionada pelo convite. Quando eu era pequena, minha mãe sempre me falava para pedir a bênção a ela, já reconhecendo a grandiosidade daquela mulher, declarou a cantora, que foi vizinha de Irmã Dulce.

Até as 10h, o evento já tinha 200 assinaturas de visitantes. Este número, normalmente, é alcançado durante todo o dia. Além dos baianos, os devotos de Olinda, Belém e Porto Alegre também participaram da celebração.

Dom Murilo lembrou da importância da gratidão pela canonização de Irmã Dulce e sobre os valores que ela pregava. “Daqui há dois meses estaremos lá no vaticano, participando da missa com o Papa, agradecendo a Deus. O sentimento mais forte que devemos ter é gratidão, saber que ele escolheu uma pessoa tão especial e aqui tão perto de nós, que semeou bondade, simplicidade, compaixão e amor, mostrando-nos que vale a pena fazer o bem, porque o bem se multiplica”. Dom Murilo ainda salientou que o desejo da Bem-Aventurada era que todos seguissem seu exemplo: “Que Deus nos ajude a imitar Irmã Dulce, porque há muitos pobres e necessitados. Se ela estivesse aqui, ela ajudaria. Mas quer, agora, que a gente faça aqui, aquilo que ela fez, para sermos também responsáveis perante a vida e as suas necessidades”.

A canonização que acontece no dia 13 de outubro vai aproximar mais as pessoas da Bem-Aventurada. Perguntado quais são estas mudanças, Dom Murilo disse que “o que muda agora para Igreja Católica, com a Irmã Dulce virando santa é que ela vai ser venerada nos altares, vai ser invocada nas orações e vai ser colocada como testemunho oficial de quem amou Jesus. É um exemplo. O mártir é o testemunho. Ela não foi mártir, mas teve um martírio diário de doação na sua simplicidade. Ela fez a sua parte, cabe a nós fazermos a nossa

As comemorações desta terça permanecem durante o dia com uma quermesse. Para encerrar vai ter uma missa, às 18h.

Seja o primeiro a comentar

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Comunidade Autêntica. É de inteira responsabilidade de seus autores podendo responder caso violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.