E.C. Vitória: Ruim para as duas equipes, diz Romisson sobre gramado da Arena Pantanal

O retorno do Vitória ao Barradão na partida contra o Oeste na terça-feira, 8, houve alguns marcos. Primeiramente, o Leão conseguiu enfim findar o jejum de triunfos na Série B, que já perduravam cinco partidas. Por fim, depois de mais de cinco meses, finalmente Romisson realizou sua estreia pelo Rubro-Negro.

Em coletiva realizada na manhã desta quinta, 10, o volante falou da experiência de jogar sua primeira partida pelo Vitória. Ele entrou no intervalo do jogo na vaga de Felipe Gedoz, que saiu com dores no tornozelo.

“Fico muito feliz em receber essa oportunidade. Tem cinco, seis meses que estou aqui e não estava recebendo a chance. Isso é complicado para um jogador. É sempre bom estar jogando, mas nunca reclamei e sempre busquei trabalhar duro. Professor Geninho me deu essa oportunidade, fui muito feliz de ter entrado e ajudado meus companheiros”, relembrou.

No entanto, não há tempo para descanso. Com apenas duas sessões de treinamento, o grupo já embarcou na busca pelo próximo desafio, diante do Cuiabá, na sexta-feira, 11, na Arena Pantanal.

“Jogo duro, bem difícil, sem tempo de treinar. Descansar bastante para ir lá, jogar mais do que a gente jogou aqui, para poder sair com o resultado positivo”, projetou Romisson.

O empecilho para essa melhora no desempenho do Leão pode estar no questionado gramado do estádio. Mesmo assim, o volante acredita que isso não deve ser problema para a equipe comandada por Geninho. “Já ouvi falar isso do gramado, mas acho que não faz diferença. Se ficar ruim para eles, fica ruim para nós. Vamos enfrentar a equipe deles”.

Seja o primeiro a comentar

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Comunidade Autêntica. É de inteira responsabilidade de seus autores podendo responder caso violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.