Roger rasga elogios a Gregore e pede atenção máxima do Bahia

Para o duelo contra o Goiás, no domingo, 18, às 16h, na Arena Fonte Nova, o treinador do Bahia, Roger Machado, terá problemas para armar a equipe. Isso porque, na última partida, o Tricolor perdeu sua principal referência no meio-campo: o volante Gregore, expulso no segundo tempo diante do Palmeiras.

Agora, as opções para substituir o ‘xerife’ do Esquadrão se limitaram a Elton, que retorna de lesão, e Ronaldo. Em coletiva realizada na tarde desta quinta-feira, 15, o comandante do Esquadrão exaltou o volante e falou das opções que terá para iniciar o confronto com o Esmeraldino.

“Tenho Elton voltando. Não sei se seria prudente, porque é uma semana que começou agora para ele e para o Guerra. E tenho o Ronaldo, que já estreou contra o Cruzeiro e estreou muito bem. O Goiás é perigoso, e a gente tem que tomar cuidado. Tem algum tempo que eu digo que o Gregore tem nível para ser lembrado para a Seleção. Tem dois ou três anos que ele lidera as estatísticas da sua função, ladrão de bolas”, lembrou Roger.

Sem vencer na temporada há sete partidas, tendo sofrido duas goleadas por 6 a 1, pode se dizer que o momento do Goiás não é dos melhores. A série de resultados culminou na queda de Claudinei Oliveira no comando técnico, e a chegada de Ney Franco. No entanto, para Roger, o mal momento do Alviverde só faz com que a atenção seja ainda maior.

“Não podemos nos enganar com esse dito momento ruim do Goiás. Teve uma troca de treinador muito mais pelo placar elástico do que pelo momento. Se, no último jogo, o Goiás tivesse vencido, passaria a gente. Não podemos nos enganar com esse momento. Eles têm algumas ausências, assim como temos as nossas, mas será um jogo muito duro. Eles vêm dispostos a tirar ponto da gente. A gente não pode permitir que isso aconteça”, frisou.

Apesar de estar invicto por quatro partidas, o momento do Tricolor ainda está longe de ser parecido com aquele que iniciou a temporada. Depois do intervalo para a Copa América, o Bahia ainda não embalou não competição e somou apenas uma vitória dessa série sem perder. Questionado sobre o declínio da equipe, Roger se manteve esperançoso na melhora do rendimento.

“O que acontece no começo do ano quando tem uma pré-temporada? Não se fica um pouco mais travado? Aconteceu outra pré-temporada na metade do ano, claro que com o acúmulo de seis meses. É natural que as engrenagens e as questões físicas venham aparecendo no decorrer. Ainda não apareceu a pré-temporada que a gente fez, em termos físicos, técnico e táticos. Eles vão aparecer e a gente vai ter um crescimento grande. Hoje, a gente está em um momento positivo e a gente tem que colher esses frutos”, projetou.

Por fim, o treinador falou sobre a prática de adotar treinos fechados durante a semana. “No meu tempo, vocês não faziam leitura labial, não colocavam desentendimento como se fosse briga. Hoje, o treino fechado é a privacidade de fazer uma cobrança mais forte e não ser interpretado de uma outra forma. Ou montar minha equipe sem municiar o adversário. Qualquer dúvida está a nosso favor”, finalizou.

*Sob a supervisão do editor Nelson Luis

Seja o primeiro a comentar

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Comunidade Autêntica. É de inteira responsabilidade de seus autores podendo responder caso violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.